Ao criar o homem e a mulher e ao colocá-los no jardim do Éden, Deus providenciou-lhes uma veste especial. “Esse casal, que não tinha pecados, não fazia uso de vestes artificiais; estavam revestidos de uma cobertura de luz e glória, tal como a usam os anjos. ” (Patriarca e Profetas pág. 29). Quando pecaram, descobriu-se a sua nudez e eles então coseram folhas de figueira, e fizeram para si aventais (Génesis 3:7), mas a bíblia mostra-nos como Deus mais uma vez interviu quanto às suas vestes E fez o Senhor Deus a Adão e a sua mulher túnicas de peles e os vestiu (Génesis 3:21).

Com o passar dos tempos e gerações continuou a dar recomendações quanto à distinção do seu povo quanto ao vestuário. Deu detalhes sobre a vestimenta daqueles que deveriam oficiar perante Ele no tabernáculo, e quando o seu povo finalmente foi liberto do Egipto, “Foram ordenados a usar um simples cordão azul nos cantos de suas vestes (Números 15:38), para distingui-los das nações em volta e significar que eram o povo peculiar de Deus”. Mensagens Escolhidas 2 pág. 473-3.

O verso 8 do capítulo 13 de Hebreus diz-nos que Jesus Cristo é o mesmo ontem, hoje e eternamente, portanto, um Deus que no passado preocupou-se com a forma com que os seus filhos apresentar-se-iam exteriormente ao mundo, nunca vai mudar. Deus importa-se connosco. Como um pai, Ele cuida de cada um de nós e aconselha-nos com a sua palavra a importância de sermos luz também no vestuário.

Precisamos glorificar a Deus através do nosso vestuário. Ao olhar para nós o mundo não deve nem por um momento duvidar de que somos cristãos. Só há duas opções, ou a nossa roupa fala em favor de Cristo e a sua verdade ou em favor do mundo. Qual destes temos escolhido? Temo-nos parecido mais com os ideais de Deus ou temo-nos misturado à multidão por receio de andarmos em contramão?

O nosso vestuário deve cumprir dois propósitos. Mostrar ao mundo que somos cristãos, um povo separado e temente a Deus e ao mesmo tempo, lembrar-nos que por sermos cristãos devemos agir como tal, limpando a nossa mente e coração, e tornando-nos cada dia mais à semelhança de Cristo em palavras e actos.

Cada escolha que fazemos requer uma renúncia e a nossa caminhada cristã não é diferente, renunciar o mundo e a todos os seus atractivos e dedicarmo-nos a uma vida modesta, requer abnegação. Superar as nossas tendências egoístas e abraçar uma causa, um princípio, requer de nós mesmos algum esforço. Pode até ser mais fácil para alguns, mas não deixa de ser um acto abnegado

Quando entendemos a importância do vestuário e o impacto  positivo que ele pode causar na nossa vida e na vida daqueles que nos cercam, quando entendemos o porquê de Deus requerer isso de nós e o plano perfeito por trás de algo aparentemente tão pequeno e insignificante, quando aceitamos a nossa missão de sermos pregadores mudos, exemplos vivos e condutores de luz, veremos que fazer a vontade de Deus é um fardo leve demais para carregar. E é justamente isso que Deus quer que entendamos… Ele não nos prometeu ausência de fardos, mas diz: “o meu fardo é leve”. Andar com Deus é desprendermo-nos de fardos pesados que o mundo impõe-nos dia a dia através dos meios de comunicação social.

Através da Bíblia e dos Testemunhos, Ele dá-nos instruções claras quanto ao que vestir mas, não devemos viver infelizes ao fazê-lo. A questão do vestuário, assim como tudo relacionado ao evangelho, deve ser uma convicção arraigada de tal maneira no nosso coração que possamos dizer como o salmista: ” deleito-me em fazer a tua vontade oh Deus meu”. Salmos 40:8

Que tenhamos prazer em glorificar a Deus através do nosso vestuário, independentemente de onde estejamos, seja na praia, no ginásio, na escola ou na igreja.

Hoje Cristo pede-nos para entregar-Lhe o nosso coração, porque um coração onde Cristo é bem vindo para fazer morada, é um coração disposto a obedecer, a mudar os velhos hábitos e evoluir. Nada parece tão difícil quando é feito com amor. Por isso o nosso conselho é: ame a Jesus. Quando o amarmos com todo nosso coração, renunciarmos o mundo e os seus costumes, tornar-se-á um prazer e não uma obrigação.

“Porque nisto consiste o amor a Deus: em obedecer aos seus mandamentos. E os seus mandamentos não são pesados”. 1 João 5:3

PRISCILLA CAVALCANTE

Priscilla Cavalcante, cirurgiã-dentista, brasileira, casada.
Apaixonada por música, poesia, fotografia e moda modesta (o que levou a criação do perfil @modestoechic em 2014).
Escritora/compositora nas horas vagas. “Deus me ensina!”